Blog Flow Expert

Entenda um pouco mais sobre o Biodiesel

10 de agosto de 2019 / FlowExpert

O que é Biodiesel

O biodiesel é um combustível produzido a partir da mistura de biomassa, a qual pode ser de origem animal ou vegetal (até mesmo óleo de cozinha usado).

Como é feito

A produção do biodiesel acontece através de dois métodos principais. O primeiro deles é a transesterificação, ocorre através da mistura da gordura animal ou do óleo vegetal com um álcool simples, acompanhada do uso de catalisadores. Desse processo, é gerado o biodiesel e também a glicerina.

Já o segundo método que também é considerado comum para a produção do biodiesel é o chamado craqueamento térmico. Nesse caso, para obter o combustível é necessário expor a matéria-prima a temperaturas elevadas, acima dos 450°C, o que provoca uma quebra molecular. Esse processo costuma ser utilizado para a produção do biodiesel em menor quantidade.

Energia mais limpa

A principal vantagem do biodiesel é se tratar de uma fonte de energia limpa e renovável, diminuindo o uso de combustíveis fósseis, como o petróleo, que é mais escasso e poluente. A queima do diesel tradicional provoca a liberação de monóxido de carbono, óxido de nitrogênio e enxofre, que contribuem para o aumento do efeito estufa.

Biodiesel no Brasil

No Brasil, o biodiesel é produzido especialmente através do processo de transesterificação, o qual possui uma estrutura amplamente difundida em todo o país.

No início, a principal matéria prima utilizada em sua fabricação era a mamona, atualmente, esse posto passou a ser da soja que absorve 80% da demanda, a gordura animal incorpora cerca  de 15% e o restante fica por conta de outras matérias-primas como o  óleo de semente de algodão e o óleo de cozinha usado.

No Brasil, a incorporação do biodiesel como combustível teve início em 2004, de forma experimental, e entre 2005 e 2007 seu uso passou a ser facultativo. Em 2008 o biodiesel entrou definitivamente na matriz energética brasileira, sendo usada, legalmente, uma mistura de 2% (B2) com o diesel comum, de forma obrigatória. Atualmente essa porcentagem é de 10%.

B11 aprovada

A ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) acaba de aprovar o aumento de mistura de biodiesel no diesel para 11% (chamado B11) a partir de setembro de 2019. Com isso a estimativa é o aumento da demanda de 1.020 mil m³ para 1.120 mil m³. A ideia é que seja feito um aumento gradual até 15% até 2023.

Glicerina

O processo de transesterificação para produção de biodiesel acaba gerando grandes quantidades de um subproduto, a glicerina, 10% de todo toda a produção de biodiesel vira glicerina, o que antigamente era um problema, passou a ser um ótimo negócio para exportação, de acordo com o MDIC (Comércio Exterior e Serviços), somente no mês julho deste ano, o Brasil exportou 38 mil toneladas de glicerina, e com a implementação do B11, essa tendência é só aumentar.

Soluções foram encontradas para o excedente de glicerina no mercado interno, a sua utilização como matéria-prima na fabricação de insumos do setor petroquímico, e também na adesão de alguns de seus compostos para a criação de aditivos em combustíveis como gasolina e diesel.

Como as bombas da Tetralon atuam na produção de biodiesel

As bombas da Tetralon são referência para a otimização do processo produtivo do biodiesel, pois reduzem o consumo de energia e os gastos periódicos com manutenção. O modelo FSI Fristam, por exemplo, é utilizado para adição de metilato durante o método de transesterificação, enquanto o Hydra-Cell atua no momento da adição de químicos em alta pressão e o Viking CMD é um padrão de bomba plástica usado na dosagem dos aditivos químicos.




Escreva um comentário

O seu e-mail nunca vai ser publicado. Campos obrigatórios *

*
*



Marcas