Os custos do processamento de lodo que poderiam ser evitados
Poucos profissionais se dão conta da quantidade de dinheiro que é perdida dia após dia ao se operar uma aplicação ineficiente de alimentação de filtro-prensa.

Temos registrado diversos relatos de nossos consultores ao longo dos anos sobre perdas consideráveis de recursos que diversos clientes enfrentam por causa da presença de bombas de impulsor centrífugo helicoidal em plantas onde há tratamento de lodos para descarte.

O desgaste constante e severo de peças como estatores e rotores, típicos em bombas helicoidais, torna a operação muito cara, gerando custos não perceptíveis no dia a dia, mas que no médio e longo prazo podem representar somas elevadas de dinheiro perdido.

Contribuem para  este cenário os seguintes fatores:

  • Após pouco tempo de trabalho, a bomba helicoidal já não consegue mais gerar as pressões iniciais necessárias à aplicação,  gerando tortas progressivamente mais úmidas e, consequentemente, maiores custo para descarte dado o aumento de volume e peso;
  • Alto número de trocas das peças em pouco espaço de tempo, que aumenta vertiginosamente o custo de operação desta tecnologia;
  • Paradas do processo para trocas de peças implicando ainda custos de hora/ homem;
  • Necessidade de sistema de comunicação complexos, pois sem isso não é identificada a saturação do sistema e a bomba helicoidal continua bombeando até a quebra dela ou do filtro-prensa.

Ciente desse problema, a Tetralon tem ajudado muitas empresas a eliminarem estes verdadeiros “ralos” por onde ainda escoa o dinheiro de seus clientes.

Temos casos de sucesso onde, se não tivessem tomado providência, um grande número de empresas ainda estaria pagando muito mais pela presença de equipamentos aparentemente “baratos”.